Startup unicórnio: o que é e o que aprender com elas?

Mercado
Publicada em 04/01/2019 - Fonte: Serasa Empreendedor

Não tem segredo: unicórnios são aquelas startups avaliadas em mais de 1 bilhão de dólares. Sim, elas existem! Alguns dos exemplos mais famosos nessa categoria são o Uber, a Xiaomi, o Snapchat e o Spotify.

Apresentada pela primeira vez pela investidora Aileen Lee, a expressão startup unicórnio está mesmo ligada à lenda desse animal mitológico. A intenção é associar essas empresas a feitos extraordinários. Afinal, ultrapassar a marca de 1 bilhão de dólares em valor de mercado realmente não é uma conquista qualquer!

Mas você sabe quais são as demais características desse tipo de startup e o que sua empresa pode aprender com esse modelo? Continue a leitura para descobrir!

O que é uma startup unicórnio?

O valor atribuído a uma startup unicórnio vem de uma projeção da fatia de mercado que pode ser abocanhada por ela. Lembrando que, por si só, uma startup já traz a ideia de uma empresa visionária, que se propõe a desenvolver um produto ou serviço capaz de causar um profundo impacto no mundo. No caso das unicórnios, esse efeito é ainda mais acentuado.

Daí vem o enorme sucesso de mercado, mais que comprovado pelas elevadas cifras associadas a essas empresas. Como lendas que se tornam realidade, as startups unicórnios são empreendimentos que querem alcançar o ponto além do máximo. Mas atenção, porque esse modelo de investimento também tem sua cota de risco, ok?

Em meio a cenários nem sempre convidativos, as startups unicórnios desenvolvem soluções que mudam o comportamento da sociedade. Um bom exemplo é a atual possibilidade de se ouvir música e assistir a filmes sem ter que baixar qualquer arquivo. Embora pareça um processo comum ultimamente, a verdade é que a entrega de um streaming de alta qualidade era impossível há poucos anos.

As startups unicórnios apresentam essa incrível capacidade de transformar o óbvio em realidade. É o famoso efeito do mas como ninguém tinha feito isso antes? Pois essa habilidade de enxergar novos e promissores mercados também é uma das características das unicórnios.

O que as startups unicórnios têm em comum?

Não é só o alcance de 1 bilhão de dólares de valor de mercado que eleva uma startup ao status de unicórnio. Essas organizações apresentam outros pontos em comum, como:

  • estratégia de mercado;
  • aprimoramento constante das soluções, com foco nos clientes.

Estratégia de mercado

Em um primeiro momento, essa categoria de startup exibe uma estratégia voltada para a conquista de um segmento específico do mercado. Depois de convencerem os consumidores mais próximos pela aceitação do serviço ou do produto que oferecem, as unicórnios expandem suas ações.

No Brasil, um bom exemplo é o da 99. No início das operações, a empresa era restrita aos taxistas. Só depois é que houve uma abertura para outros motoristas.

Aprimoramento das soluções

Além da procura incessante por novas oportunidades no mesmo nicho de negócio, outra marca de uma startup unicórnio é o foco sobre o processo de melhorias. É como se essas empresas nunca saíssem do modo beta, o que quer dizer que estão sempre envolvidas em uma rotina de aperfeiçoamento. Isso se deve ao contato estabelecido com os clientes, que têm voz ativa.

Quais são os maiores desafios?

A verdade é que nem tudo são flores no mundo mágico das startups unicórnios! Existem sim problemas que podem comprometer esse modelo de negócio. Confira os principais desafios ligados a essas empresas!

Definir o investimento

Chegado o momento de negociar um aporte de capital para a startup, o empreendedor deve ficar atento ao valor realmente necessário. Isso porque qualquer quantia a mais pode se transformar em prejuízo. Assim, aceitar um empréstimo maior com a finalidade de construir um fundo reserva é uma péssima ideia. O empréstimo deve ser estratégico.

Por mais que a alta dose de risco seja um aspecto característico de uma startup unicórnio, é preciso cuidado. Cabe aos gestores lidar com esse cenário por meio da geração de resultados que justifiquem tamanho investimento.

Garimpar talentos

Ter um time com colaboradores talentosos é uma premissa que toda empresa deve considerar. O detalhe é que uma startup unicórnio cresce em um ritmo aceleradíssimo. Em pouco tempo, portanto, os gestores podem se ver diante de muito trabalho e pouca mão de obra.

Nessas ocasiões, a empresa deve se manter fiel ao perfil definido para cada cargo. Essa não é uma tarefa simples, pois os profissionais desejados nem sempre estão disponíveis. O desafio aqui consiste em equilibrar as ações da equipe da melhor maneira possível. Queda na qualidade dos processos, por exemplo, é inaceitável.

O que podemos aprender com as unicórnios?

As startups unicórnios ainda são uma novidade no Brasil, que conta com apenas 3 empresas nesse patamar. Uma delas é o Nubank, que revolucionou as relações entre usuários e instituição financeira. Mesmo que você não tenha nenhuma ambição de incluir sua empresa nessa lista, pode aprender algumas lições!

A proposta para o público consumidor, por exemplo, deve recair nas soluções apresentadas e em como melhorá-las continuamente. Ao deixar um canal aberto com os clientes, é possível ouvir sugestões para aprimorar o produto ou serviço, ampliando a satisfação de quem prestigia o negócio. Desde que exista um bom planejamento e uma gestão estratégica, o crescimento econômico virá como consequência.

As startups unicórnios pertencem a um modelo de negócio único, quase uma lenda mesmo. Elas provaram que é sim possível administrar uma empresa de uma forma diferente e bem mais eficaz. Que tal testar alguns pontos na sua empresa?

Para saber mais sobre gestão de negócios, aproveite para assinar nossa newsletter e passar a receber outros conteúdos diretamente no seu e-mail!

Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: