Saúde financeira da empresa: qual é o impacto no seu crédito?

Finanças
Publicada em 25/01/2019 - Fonte: Serasa Empreendedor

A saúde financeira da empresa, em grande parte dos casos, é consequência da gestão do negócio. Assim, se o controle do que entra e do que sai do caixa é falho, existem desperdícios de recursos materiais, a mão de obra fica ociosa, as compras são realizadas de modo ineficiente etc. Deste modo, as chances de a empresa ter problemas ligados a dinheiro são consideráveis.

Por vezes, um cenário favorável na economia como um todo chega a esconder os equívocos na administração do negócio. Porém, basta qualquer turbulência no mercado para deixar à mostra os problemas financeiros da empresa. Quando isso ocorre, tal realidade acaba por dificultar a saída da crise, já que a fragilidade da gestão impede que o empreendimento consiga crédito para se reerguer.

Saiba, em seguida, como a saúde financeira da empresa impacta a obtenção de recursos para o seu negócio e confira dicas para ter o caixa sempre com saldo positivo!

Conheça o Saúde do seu Negócio, finanças saudáveis para sua empresa

Qual é a importância das finanças saudáveis para uma empresa?

Empreendedor com equipamentos de médico analisando um monte de moedas de dinheiro, que significa que ele está fazendo um diagnóstico da saude financeira do negócio.
Educação financeira – Comece com o diagnóstico da saúde financeira da sua empresa
Quando uma pessoa tem uma saúde perfeita, ela tem disposição para realizar as tarefas do dia a dia, consegue estudar e aprender, pode se deslocar com facilidade etc. No fundo, o indivíduo tem uma boa qualidade de vida.

No caso de uma empresa, a situação é semelhante quando se trata de saúde financeira. O negócio que está com o caixa no azul pode honrar todos os compromissos com fornecedores, colaboradores e clientes. Além disso, as finanças saudáveis permitem que o empreendimento tenha um bom nome na praça, o que facilita a formação de parcerias e a obtenção de crédito.

Já numa situação contrária, quando faltam recursos no caixa, a tendência é de que o negócio entre numa bola de neve de problemas financeiros. Afinal, sem dinheiro, o empreendedor acaba por comprar matéria-prima a um custo mais alto, uma vez que precisa se sujeitar às condições de um fornecedor que vende para quem não está com a gestão das finanças em dia.

Nesse caso, numa comparação com a pessoa física, é como alguém negativado que busca obter empréstimo. Quando se consegue o crédito, ele tem alta taxa de juros. Assim, com custos elevados, a empresa passa a ser menos competitiva no mercado. Isso porque as mercadorias ficam com preço mais caro do que os produtos da concorrência. Consequentemente, o negócio passa a ter mais dificuldade para faturar e, assim, entra menos dinheiro no caixa.

Dessa forma, a empresa corre o risco de não pagar o salário dos funcionários nem os fornecedores. Com isso, existe a tendência de sofrer processos na Justiça do Trabalho e cobranças na Justiça Comum. Quando se chega a esse estágio, é normal também haver o não pagamento de tributos, o que impede que o negócio obtenha certidão negativa de débitos. Se nada for feito para reverter esse quadro, como uma injeção de capital no empreendimento, é provável que ele venha a falência por falta de saúde financeira.

Como você pode perceber, o capital de um negócio pode ser comparado ao coração ou ao cérebro de uma pessoa. Simplesmente se faltar dinheiro em caixa, um estabelecimento corre sério risco de fechar as portas.

Qual é o impacto da saúde financeira na obtenção de crédito?

Conseguir crédito para a manutenção ou a expansão do negócio, mesmo em época de juros baixos, requer o cumprimento de certos trâmites burocráticos. Afinal, dificilmente uma instituição financeira vai conceder empréstimos ou financiamentos sem analisar o risco de crédito do tomador do dinheiro.

Assim, uma gestão financeira ruim pode trazer muitas consequências negativas para a existência de um negócio. Com um caixa deficitário, as chances de conseguir crédito a juros baixos são raras. Afinal, as taxas aumentam à medida que o risco de inadimplência cresce.

Além disso, a falta de saúde financeira pode impedir que a empresa forme parcerias comerciais. Hoje em dia, grandes companhias são bastante cobradas pelos stakeholders (públicos interessados) quanto à sustentabilidade de toda a cadeia produtiva delas. Assim, esses negócios costumam fazer uma seleção criteriosa dos parceiros comerciais.

Logo, se uma empresa quer ser fornecedora de uma companhia desse tipo precisa atestar certos requisitos, entre os quais pode estar a boa saúde financeira. Tal critério também está presente em muitas licitações no setor governamental.

Como organizar a saúde financeira de um negócio?

planejamento-financeiro-empresarial-o-guia-definitivo
Organizar a parte financeira da empresa
Agora que você já sabe dos impactos de uma gestão financeira ineficiente, deve querer saber o que pode fazer para deixar o caixa da sua empresa sempre com saldo positivo, não é mesmo?

Saiba, então, que o planejamento é uma etapa fundamental para deixar o seu negócio no azul. O ideal é que você tenha sempre os números do seu empreendimento à mão. Com isso, você pode prever as entradas e as saídas, de modo a ter uma noção de quanto precisará de capital de giro.

E como saber esses dados? Na verdade, tal conhecimento passa pela execução do fluxo de caixa, ferramenta de gestão pela qual se monitora as receitas e as despesas de um estabelecimento. Ao fazer esse controle com precisão, você saberá exatamente qual é a movimentação financeira no seu negócio. Com essa informação, fica mais fácil fazer um plano de ação para colocar as finanças em dia.

Dessa maneira, você pode estabelecer metas de receita com mais clareza, além de definir porcentagens de redução de custos. Ao agir nessas duas frentes, você acelera o processo de saneamento das finanças do negócio.

Nesse trabalho de melhorar a saúde financeira da empresa, não se esqueça de contar com o apoio da tecnologia a seu favor. Por exemplo, a plataforma Serasa Empreendedor oferece uma série de soluções para ajudar o empresário na gestão do próprio negócio.

Para você ter uma ideia disso, com o Score Empreendedor você pode verificar como está a avaliação do seu estabelecimento perante o mercado e, assim, saber se será possível obter crédito com facilidade ou não. Na verdade, você verá como o mercado enxerga a sua empresa.

Já com o Saúde do seu Negócio você pode ver todos os apontamentos que há sobre o seu CPF e CNPJ além de um plano de ação e acompanhar vários conteúdos de educação financeira para aperfeiçoar as práticas realizadas no seu empreendimento. Quer conhecer essas soluções? Entre em contato com a equipe da Serasa e saiba como utilizá-las.

 
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: