O que é receita recorrente?

Gestão
Publicada em 10/07/2018 - Fonte: Serasa Empreendedor

Muitos empreendedores viram no modelo de receita recorrente uma forma de ampliar seu negócio, aumentando o número de clientes mesmo na crise. Você já deve ter ouvido falar, por exemplo, sobre a Netflix, o Spotify e clubes de assinatura de produtos, certo? Pois todos são exemplos dessa categoria.

Tal estratégia permite que as empresas tenham mais segurança financeira por receberem pagamentos recorrentes de seus clientes. Mas não pense que apenas grandes negócios podem se beneficiar desse modelo! Na verdade, esse pode ser o grande diferencial para pequenos empreendimentos se tornarem mais competitivos, diferenciando-se dos concorrentes.

Ficou interessado? Então acompanhe os próximos tópicos para entender o que exatamente é essa tal receita recorrente e como funciona, além de conferir um passo a passo para colocar essa ideia em prática na sua empresa! Vamos lá?

O que é receita recorrente?

Em crescimento no Brasil, esse modelo permite que os clientes fechem a compra de determinado produto ou serviço por um período de tempo. O pagamento é feito de maneira automática, de acordo com uma periodicidade previamente acordada — pode ser mensal, trimestral, semestral e assim por diante. Com isso, a empresa recebe uma receita recorrente da sua base de clientes.

As cobranças são realizadas automaticamente, podendo ser por boleto bancário, cartão de crédito ou débito, independentemente se o cliente é pessoa jurídica ou física. Academias, cursos e aluguel de softwares usam esse modelo há anos, que agora está em expansão para os mais diferentes setores.

Nesse cenário, explorando os benefícios proporcionados por esse modelo, não é difícil ver empresas novas no mercado que estão crescendo rapidamente. É o caso de clubes de assinatura de livros, de vinhos ou de produtos naturais, bem como do aluguel de bicicletas, da manutenção de equipamentos e por aí vai.

Quais as vantagens desse modelo de negócio?

Computador com projeções positivas sobre o modelo de negócio baseado em receita recorrente
Conheça as principais vantagens
A principal vantagem é a projeção de faturamento mais clara pelo fato de o negócio ter assinantes fixos. Com isso, a empresa consegue sabe quanto vai gerar de receita em determinado período, noção que permite um planejamento melhor, ajudando no fluxo de caixa e possibilitando um investimento a longo prazo.

Além disso, a adoção desse modelo diminui os riscos relacionados a fatores externos, como no caso da sazonalidade, caso você tenha picos de vendas seguidos por períodos de baixas, além de também diminuir os custos para se conseguir novos clientes, já que fidelizar os já existentes é mais barato que conquistar toda uma nova clientela.

A inadimplência também tende a diminuir, podendo até zerar, pelo fato de a maioria das cobranças desse modelo ser feita por meio do cartão de crédito. Para os clientes, essa também é uma grande vantagem, pois é possível se planejar para esse gasto, além de ser muito mais prático autorizar a cobrança do que ter que realizar a compra manualmente.

Como implementar um serviço de assinatura?

Agora que você já conhece as principais vantagens de ter receita recorrente na sua empresa, vamos dar algumas dicas de como criar um produto ou serviço nesse modelo. Confira!

Entenda o público

Jovens conversando e se divertindo, independente do seu publico ele devem estar satisfeito com o seu serviço de assinatura.
Entender o público alvo é essencial para qualquer negócio.
Um importante indicador de sucesso para esse tipo de negócio é a retenção de clientes, que podem ir embora caso fiquem insatisfeitos com a qualidade da entrega. Para evitar que isso aconteça, pense sempre nas necessidades do público e em como aquele produto ou serviço pode resolver seu problema. Se não tiver uma resposta agora, tudo bem! Faça uma pesquisa por meio de formulários ou até presencialmente, se possível, para descobrir!

Analise a concorrência

Nada de ignorar a concorrência, combinado? Muito pelo contrário, o melhor é ficar de olho! Procure no mercado empresas do mesmo setor que ofereçam produtos parecidos com os seus para ter novas ideias, entendendo como se posicionam e de que forma se relacionam com os consumidores. Essa análise pode ajudá-lo a enxergar o que os concorrentes têm feito de bom que poderia ser implementado no seu negócio, assim como maneiras para ter um diferencial.

Cuide da precificação

Decidir quanto será cobrado é bem delicado. Afinal, o valor não pode ser muito baixo, para não prejudicar o financeiro da empresa, assim como não pode ser alto a ponto de assustar os consumidores. Por isso, o ideal é buscar o equilíbrio, pensando sempre em como passar a sensação de que os clientes estão recebendo mais que o valor efetivamente pago. Para tanto, invista em atualizações constantes e em um bom atendimento ao cliente.

Invista em marketing

Antes de definir uma estratégia para a divulgação e a venda do seu serviço ou produto, verifique se ele é facilmente entendido. Se for complicado demais, sua equipe precisará de mais tempo para fechar uma venda, além de poder assustar clientes em potencial. Entenda: quanto mais claras forem sua mensagem e sua proposta de valor, melhor.

Por isso, trate de fazer um planejamento de marketing voltado para seu público-alvo, levando em conta as redes sociais que usa, como se comunica, quais são seus problemas e como sua oferta pode ajudar. Não deixe de desenvolver um site que seja fácil de navegar e, se possível, crie uma página respondendo a perguntas frequentes para facilitar o processo de compra.

E quais são os riscos?

Homem em uma ponte, vendo o infinito. Novos negócios não precisam ser um salto de fé, planeje cada passo da sua nova empresa.
Planejamento é o seu maior aliado para evitar riscos
Sabe aquele ditado que diz que é melhor prevenir do que remediar? Pois ele se aplica muito bem ao mundo dos negócios! Afinal, o empreendedor precisa se planejar e ficar atento às mudanças, a fim de minimizar os riscos que possam vir a prejudicar a empresa.

Com relação ao modelo de receita recorrente, o maior risco é o de inadimplência. Para isso não se tornar um grande problema para a empresa, fique de olho nesse indicador e crie regras de cobrança. São essas normas que vão guiar a equipe ao entrar em contato com o cliente devedor, determinando se o serviço ficará suspenso ou não enquanto o pagamento não for regularizado e até se será permitido negociar um acordo.

Outro possível problema está relacionado às reclamações de pessoas que não estão satisfeitas com o serviço. Lembre-se: seus clientes são o que há de mais valioso para a empresa. Por isso, sempre leve os feedbacks em consideração para melhorar a qualidade do serviço e gerar ideias para futuros produtos.

E mais: disponibilize canais de comunicação para que os consumidores possam entrar em contato rapidamente e, mais importante ainda, resolva suas solicitações com agilidade e muita educação, deixando-os encantados com seu atendimento. Consegue ver como tudo isso vai levar à fidelização?

O modelo de receita recorrente está crescendo. Nesse contexto, muitas empresas já perceberam que não basta apenas inovar nos seus produtos e serviços, porque a forma de cobrança também precisa ser atualizada. E a verdade é que, independentemente do tamanho do negócio, é possível ampliar os resultados para alcançar novos e leais clientes.

Mas e a sua empresa, por acaso oferece algum produto ou serviço de receita recorrente? Ficou ainda com alguma dúvida sobre o assunto? Siga nossas páginas no Facebook, no Instagram e no LinkedIn para ficar de olho em mais conteúdos como este!

Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: