Linhas de crédito para empresas: entenda os modelos e utilizações

Finanças
Publicada em 17/05/2019 - Fonte: Serasa Empreendedor

Quem tem um negócio de pequeno porte sabe que há muitos desafios na administração. Todas as demandas passam pelo proprietário, que precisa cuidar da gestão financeira e de pessoas, marketing, vendas, relacionamento com clientes e mais. Boa parte desses obstáculos pode ser superada com as linhas de crédito para empresas.

Elas permitem investir em funcionários e estrutura, além de possibilitarem o balanceamento do fluxo de caixa. Ao mesmo tempo, as linhas de crédito contribuem para o crescimento sustentável do negócio. Nesse momento, a questão passa por entender qual é a melhor opção para o seu caso. Saiba que sempre existe uma alternativa que se encaixará nos desafios que sua empresa está enfrentando — basta procurar.

Para ajudar nessa tarefa, apresentamos neste post os principais modelos com suas utilizações. Então, que tal saber mais? É só continuar lendo!

Vantagens do crédito para empresa

Qualquer empresa depende de investimento financeiro para começar e permanecer em funcionamento. Mais que todo o trabalho exigido do empresário, é preciso ter um plano bem estruturado para garantir a superação dos momentos de dificuldades e expandir a atuação do negócio.

É aí que entram as linhas de crédito para empresas. Elas são uma alternativa viável para colocar os seus objetivos em prática e alcançá-los com mais facilidade. Além disso, quando há um planejamento financeiro bem estruturado, a chance de os resultados do empréstimo serem positivos é maior.

Para você ter uma ideia, 2,5 milhões de micro, pequenas e médias empresas terão crédito com o registro no Cadastro Positivo. Segundo estimativas da Serasa Experian, as novas oportunidades de investimentos totalizarão R$180 bilhões. Além disso, a carteira de empréstimos para pessoas jurídicas deve crescer 35%.

Apesar dessa expectativa positiva, o ano de 2018 terminou com 5,3 milhões de micro e pequenas empresas inadimplentes. O dado representa uma alta de 7,5%, se comparado a 2017. Quais foram os principais motivos para esse resultado? Fatores econômicos e dificuldades desses negócios em administrarem a saúde financeira.

Aliás, esse segundo motivo causa um impacto significativo. Tanto é que a demanda das empresas por crédito diminuiu 3,5% em 2018, quando comparado com 2017. Os principais obstáculos, no caso desse resultado, foram a paralisação dos caminhoneiros, as eleições presidenciais e a interrupção da aprovação das reformas estruturais.

Relacionando todos esses dados, percebemos que a crise econômica pela qual o País passa traz empecilhos para a gestão. Junto a isso, há outros eventos pontuais — como a paralisação dos caminhoneiros — que interferem nos resultados. Para seu negócio sobreviver a esse contexto, é preciso cuidar das finanças.

Isso pode implicar ter acesso a uma boa linha de crédito empresarial, que melhorará os resultados do negócio e trará credibilidade para a marca. A característica principal dessa opção é oferecer mais vantagens que os empréstimos voltados para pessoa física. Isso acontece porque é considerado o seu segmento de atuação e/ou em que situação o dinheiro será utilizado.

Assim, pode ser feito um empréstimo para abrir a empresa, obter capital de giro — aquele valor necessário para o funcionamento do negócio — fazer investimentos, antecipar receitas, com o objetivo de evitar a inadimplência, e mais.

Além dessas vantagens, que favorecem para o diagnóstico de saúde do seu negócio, você consegue deduzir as despesas com juros do Imposto de Renda (IR) — basta conversar com o seu contador. Ainda é pago um valor fixo mensal. Desse modo, é só fazer um bom planejamento financeiro para assegurar apenas os pontos positivos.

Linhas de crédito: modelos e utilizações

Entender o que é preciso para contratar crédito é o primeiro passo para aproveitar as vantagens das linhas de crédito empresariais. Existem várias opções no mercado. Cada uma tem suas próprias peculiaridades. Por isso, é fundamental considerar essas características antes de definir a alternativa mais adequada para o seu caso.

Por isso, listamos as principais modalidades a seguir com as informações necessárias. Depois é só selecionar a mais apropriada. Então, que tal conferir?

Crédito Multirrecebíveis

É ofertada pelo Bradesco, instituição financeira privada, com o objetivo de fornecer capital de giro ou limite de conta garantida. Para isso, a empresa usa os recebíveis de duplicatas, cartões de crédito e cheques como caução. Com isso, os juros incidentes são menores. As principais características do crédito multirrecebíveis são:

  • pagamento de acordo com o fluxo de caixa da empresa ou mensal;
  • redução das taxas de juros;
  • adequação do pagamento ao ciclo produtivo da empresa;
  • oferta de garantias para diminuir os valores pagos.

Para solicitar esse crédito, é preciso fazer uma simulação, preencher o formulário e enviar a proposta. Em seguida, é só comparecer a uma agência do banco para solicitar o crédito. A vantagem do crédito multirrecebíveis é a facilidade das condições de pagamento.

No entanto, é preciso ter em mente que isso não significa que você pode adotar a posição “devo, não nego, pago quando puder”. Essa postura é inadmissível para o banco, que pode até indicar a solicitação como crédito recusado.

Além disso, quanto mais tempo você levar para pagar, maiores serão os juros aplicados. Por isso, é essencial fazer um bom planejamento e garantir os pagamentos mensais e em dia, já que instituições financeiras privadas tendem a cobrar mais que as públicas.

Antecipação de recebíveis

É uma opção semelhante à anterior, mas com algumas diferenças. O propósito é negociar duplicatas, cheques, carnês e outros títulos a receber em curto prazo e obter o dinheiro à vista, com o desconto de uma taxa. O índice costuma ser mais baixo que outras linhas de crédito para empresas.

Essa alternativa é interessante para pagar as contas de curto prazo. Além disso, é uma forma de ter dinheiro na hora sem precisar ficar com uma dívida de longo prazo. Por outro lado, você já corrói os valores futuros e, sem um bom planejamento financeiro, acabará tendo problemas em um intervalo de tempo médio ou longo.

Para contratar essa opção, é importante verificar a disponibilidade em cooperativas, bancos comerciais e instituições financeiras em geral. Lembre-se de sempre analisar não só as taxas de juros, mas também o Custo Efetivo Total (CET), que inclui ainda outros encargos.

Crédito para investir em equipamentos

Há várias opções com essa finalidade. A mais comum é a do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Essa instituição é a principal facilitadora de crédito e oferece diferentes programas de financiamento, seja com o próprio BNDES, seja com outros bancos cadastrados.

A vantagem é que esse financiamento é de longo prazo, especialmente porque seu objetivo é fomentar a economia nacional. Para a compra e investimentos em equipamentos, o ideal é utilizar a oferta da Agência Especial de Financiamento Industrial (FINAME).

Essa modalidade é possibilitada para empresas de qualquer porte e localização no País. A única exigência é que os bens a serem financiados precisam de registro no Credenciamento de Fabricantes Informatizados do BNDES (CFI). Para verificar essa questão, é só consultar aqueles que estão disponíveis no site da instituição financeira.

Para ter acesso ao FINAME, você precisa entrar em contato com as agências parceiras. Duas opções são as da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Banco do Brasil (BB). Antes disso, é importante escolher o equipamento. Com a solicitação do crédito, a instituição encaminha a proposta e o BNDES autoriza o financiamento.

Assim, a requisição de entrega do equipamento é autorizada, o valor financiado é repassado e você faz o pagamento da máquina à vista, com a responsabilidade de efetuar a quitação das parcelas mensais. Apesar de existirem todas essas etapas, fica claro que o processo é rápido e simples.

Além disso, existem várias vantagens nessa linha de crédito empresarial. As principais são:

  • facilidade, já que até 85% do bem pode ser financiado;
  • flexibilidade de pagamento, porque o prazo pode chegar a 120 meses, com até 24 meses de carência;
  • aplicação do Sistema de Amortização Constante (SAC), que faz as prestações ficarem menores a cada mês.

O cuidado necessário com o crédito para investir em equipamentos é elaborar um bom planejamento, que identifique a real necessidade da sua empresa. Nesse momento, é preciso equilibrar a sua demanda e o investimento necessário. O foco sempre deve ser o custo-benefício. Assim, você evita perder oportunidades e garante uma expansão mais sustentável para o negócio.

Proger Urbano Empresarial

É uma linha de crédito empresarial voltada para o capital de giro ou financiamento de reforma, modernização e compra de bens. O limite de financiamento é R$200 mil e o pagamento pode ser feito em até 72 meses. A carência — ou seja, o prazo para começar a quitar as prestações — é de 12 meses. A parte financiável é de até 100%, sendo 80% para o projeto e o restante para o caixa.

A taxa de juros é reduzida, de até 12% ao ano, com isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Essa oferta ocorre porque o dinheiro utilizado é derivado do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Junto à linha de crédito empresarial para a compra de bens e equipamentos, também é possível obter capital de giro na mesma operação.

O Proger Urbano Empresarial é uma opção para empresas com faturamento de até R$10 milhões ao ano. O valor a ser solicitado é de, no máximo, R$1 milhão, já com o capital de giro. O objetivo é garantir a geração de renda, já que esse programa tem esse propósito específico.

Para contratar o Proger, é preciso entrar em contato com a CEF ou o BB, duas das instituições que oferecem essa modalidade. No site do segundo banco é possível fazer uma simulação. Basta inserir alguns dados da sua empresa.

A vantagem é ter taxas reduzidas e conseguir fechar o empréstimo com agilidade. Por outro lado, é preciso fazer um planejamento de longo prazo, a fim de evitar que o pagamento das parcelas seja comprometido. Ademais, vale a pena pesquisar em mais de uma instituição financeira, já que os juros são variáveis.

Microcrédito Produtivo Orientado (MPO)

Ofertado pela CEF, o Microcrédito Produtivo Orientado é uma linha de crédito para empresas de pequeno porte e Microempreendedores Individuais (MEIs), com faturamento de até R$200 mil. Essa é uma característica importante, já que o valor máximo para empréstimo é de R$15 mil — ou seja, é uma opção interessante para quem precisa de um aporte pequeno.

Apesar do valor mais baixo, ainda assim é preciso passar pela aprovação de crédito, que envolve a análise da capacidade de pagamento. Por outro lado, essa linha de crédito oferece pouca burocracia, porque seu objetivo é incentivar a geração de emprego e renda, assim como garantir o combate à pobreza e a inclusão social.

Vale a pena observar que o Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO) garante o pagamento de juros baixos e ainda oferece orientação técnica para aperfeiçoar o desenvolvimento do negócio. No entanto, os montantes emprestados dependem da situação financeira do negócio.

Para contratar o crédito ou pedir informações, procure uma instituição autorizada. Entre elas estão:

  • bancos comerciais e múltiplos com carteira comercial;
  • bancos de desenvolvimento;
  • CEF;
  • BNDES;
  • cooperativas centrais e singulares de crédito;
  • agências de fomento;
  • sociedades de crédito ao microempreendedor e à empresa de pequeno porte;
  • organizações da sociedade civil de interesse público.

Bens de Consumo Duráveis (BCD)

É outra linha de crédito para empresas que oferece vantagens para o financiamento de máquinas e equipamentos novos ou usados. Essa alternativa é válida para negócios de qualquer porte e segmento de atuação.

O pagamento é feito por meio de prestações mensais, que são debitadas diretamente da conta-corrente cadastrada. Contudo, é preciso ter atenção aos juros, porque eles são pós-fixados. Isso significa que eles sofrem correção mensal, de acordo com a Taxa Referencial (TR). A parte positiva é que esse índice costuma ficar perto de zero.

Além disso, a instituição financeira pode cobrar suas tarifas, conforme a tabela vigente — nesse caso, informe-se diretamente com o banco. Quanto às garantias necessárias, costumam ser a Cédula de Crédito Bancário (CCB) e a alienação fiduciária dos bens financiados. Outras exigências podem ser solicitadas, inclusive com a cobertura por seguro.

Ainda que exista essa burocracia, as vantagens são o limite do empréstimo — já que é possível financiar até 100% do valor da nota fiscal, a depender da categoria — e o prazo de pagamento, em até 60 meses, com carência de seis meses.

Para solicitar o crédito BCD, é preciso se informar em uma agência da CEF. Você ainda precisará ser cliente da instituição e passar por uma análise documental e cadastral.

Apropriação de Crédito Acumulado

É mais que uma linha de crédito, já que permite ter o retorno de parte dos valores pagos a título de impostos. O montante obtido pode ser aplicado no negócio, por exemplo, para:

  • pagamento de matéria-prima, embalagem e material secundário, desde que esses itens sejam aplicados na produção própria;
  • quitação de máquinas, equipamentos e aparelhos, que passam a integrar o ativo imobilizado;
  • compra de caminhão e veículos;
  • aquisição de combustível, no caso de empresas de transportes ou que utilize diretamente.

Ainda é possível compensar o pagamento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Assim, você consegue reaver o dinheiro que tem empregado e nem precisa pagar juros para realizar essas operações.

Para aproveitar esse recurso, é necessário verificar os trâmites junto à Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). Lembre-se ainda de manter uma boa gestão financeira e tributária, a fim de identificar esses créditos em aberto.

Como aplicar essa boa prática? O ideal é contar com um contador de sua confiança, que vai indicar o melhor regime tributário para o seu negócio. Foque a chamada elisão fiscal, que prevê o pagamento do menor nível de tributos com o cumprimento das regras da legislação. Assim, você tem chances de aumentar as chances de obter créditos, que vão reverter em benefícios para a empresa.

Ajuda da Serasa Experian para obter linha de crédito para sua empresa

A Serasa Experian oferece várias soluções para micro e pequenos empreendedores. Mais que trabalhar a saúde financeira da empresa — por exemplo, com o Saúde do seu Negócio — os empréstimos são descomplicados por meio de um marketplace de crédito.

A ideia é simples: você faz a simulação com as condições e quantia que busca. Em seguida, aparecem as opções de parceiros, ou seja, instituições financeiras que fazem ofertas dentro das suas expectativas. A partir disso, você escolhe a que considera melhor e o restante da negociação é feita diretamente com o banco para facilitar a aquisição do crédito.

Todas as simulações são gratuitas e tem o objetivo de facilitar a expansão do seu negócio. Além disso, você já conta com o seu score empreendedor disponível para os parceiros. Com essa pontuação — que varia de 0 a 1000 — você identifica como o mercado avalia seu negócio, qual é a reputação e credibilidade, bem como quais são suas chances de conseguir crédito. Junto ao marketplace de crédito da Serasa Experian, você pode obter:

  • capital de giro para o seu CNPJ, por meio de empréstimo parcelado com ou sem garantia de imóveis e veículos;
  • microcrédito, a partir de R$1 mil;
  • antecipação de recebíveis, isto é, você vende a prazo e recebe à vista.

Para pedir o seu crédito, é preciso fazer um cadastro no site do Serasa Empreendedor, clicar em “Acesso a crédito” e, então, em “Simulação de crédito”. Tenha em mente que é necessário organizar sua vida financeira antes de solicitar o empréstimo online.

Essa medida é essencial para ter uma gestão eficiente e aumentar as chances de conseguir o financiamento. Para entender quais são as boas práticas, veja as principais a seguir.

Planeje-se

A solicitação de uma linha de crédito para empresas requer a compreensão de quanto vai precisar e da finalidade do dinheiro. Somente a partir desses dados você saberá verificará qual é a melhor opção e se é possível esperar mais tempo. Lembre-se ainda de verificar as finanças do negócio e o seu score como empreendedor.

Pesquise as opções disponíveis

O marketplace de crédito da Serasa Experian tem essa vantagem, porque oferece diferentes propostas de instituições financeiras. Verifique as exigências, as taxas, os custos, os fatores de restrição, os prazos e os limites. Vale a pena procurar também uma linha de crédito específica para o objetivo desejado, por exemplo, compra de equipamentos ou capital de giro — nesse caso, a taxa de juros tende a ser reduzida.

Avalie o CET

O ideal é observar mais que as taxas de juros. É preciso avaliar o CET (Custo Efetivo Total), que inclui encargos e taxas administrativas. Somente dessa forma você terá a capacidade de avaliar exatamente quanto está pagando e qual alternativa é mais interessante.

Elabore ou atualize seu plano de negócios

O plano de negócios é o documento que guia suas decisões e serve para comprovar às instituições financeiras que sua empresa tem capacidade de honrar o compromisso assumido. Em muitos casos, essa apresentação é uma das exigências. Por isso, elabore ou atualize a partir de uma análise de mercado detalhada.

Verifique suas condições de pagamento

A comprovação de que é capaz de honrar os pagamentos é apenas um dos passos. Também é necessário ter certeza de que as condições são favoráveis ao seu negócio. Atente ao valor da parcela para evitar a inadimplência. Caso a quantia mensal seja maior que a esperada, busque alternativas, como um prazo mais longo de quitação da dívida. Se precisar, desista do crédito.

Considere a solução do problema

A linha de crédito empresarial tem por objetivo resolver um problema. No entanto, se você esquecer o planejamento, é comum criar mais dificuldades. Por isso, sempre pense se o empréstimo acabará com aquele imprevisto e tome as medidas necessárias. É assim que a sua recuperação financeira será sustentável e rápida.

Em suma, ter acesso a uma linha de crédito para empresas é uma alternativa viável em muitos casos. Os empréstimos contribuem para a recuperação do fôlego financeiro, realização de investimentos no negócio e consolidação de finanças saudáveis. Porém, é preciso avaliar as opções disponíveis e tomar os cuidados que apresentamos neste artigo.

Ao agir dessa forma, você está pronto para conseguir o financiamento necessário para seu negócio. Então, que tal entrar em contato com a Serasa Experian e ver mais sobre como funciona nosso marketplace de crédito? Fale com um de nossos especialistas e veja como podemos ajudar no sucesso da sua empresa!

 

Baixe gratuitamente agora

Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: