Empréstimo para empresas: conheça os tipos e vantagens

Finanças
Publicada em 06/05/2019 - Fonte: Serasa Empreendedor

Embora a demanda por crédito para pessoa jurídica tenha diminuído em janeiro de 2019, o empréstimo para empresa continua sendo — e sempre será — o meio mais rápido de fomentar a atividade empreendedora.

A oferta de crédito é um indicador econômico relevante, afinal, quando a demanda é alta, sinaliza que o ambiente de negócios está favorável. Por outro lado, uma procura reduzida indica retração.

Independentemente do momento, a verdade é que um empréstimo implica assumir uma grande responsabilidade. Ele só será um meio de desenvolvimento quando for utilizado de forma criteriosa. Do contrário, quando contraído sem o devido planejamento torna-se um fator de endividamento, afinal, não há crédito que não seja acompanhado de juros.

Por isso, entendemos que é necessário todo um preparo antes que uma decisão por requisitar um empréstimo seja tomada. Por mais que o timing nos negócios seja importante, mais importante ainda é evitar a formação de uma dívida impagável.

Assim sendo, este artigo tem como objetivo levar a você, empreendedor, informações relevantes e que deve ser considerada antes de solicitar crédito junto ao seu banco. Leia atentamente e salve em seus favoritos para futuras consultas. Não se esqueça: conhecimento é poder!

O empréstimo ideal para sua empresa

A oferta de crédito no mercado é vasta, concorda? A quantidade de linhas e instituições financeiras é tanta que fica difícil escolher a modalidade ideal de empréstimo. No entanto, seja qual for a sua escolha, de uma coisa ninguém escapa: todo recurso financeiro só entra na sua conta quando você aceita pagar os respectivos juros e taxas.

Isso nos leva a crer que é preciso, antes de mais nada, de usar empréstimo de forma estratégica. Nesse sentido, é preciso considerar que o valor que sua empresa tomar emprestado não pertence a ela. 

Estando de posse de um recurso que não nos pertence, deve-se primeiro definir o que fazer enquanto ele estiver em nossa posse. Portanto, todo empréstimo deve ser tomado para atender a algum propósito específico que justifique sua contratação.

Esse é o ponto mais importante a ser destacado para definir qual a modalidade de crédito se ajusta melhor às suas necessidades. Por exemplo, vamos supor que você esteja precisando cobrir o capital de giro para este mês, em função de um gasto imprevisto.

Talvez uma linha de crédito que ofereça vantagens para pagamento em prazo menores seja o ideal, desde que o valor seja coberto sem grande dificuldade. Mas, em outra situação, vamos considerar que você pretende abrir uma nova loja e que para isso será necessário um prazo de pagamento mais dilatado.

Nesse caso, o mais indicado é contratar um empréstimo que possa ser pago em mais vezes ou em condições facilitadas para empreendedores. Tudo vai depender dos objetivos em vista, da sua capacidade de gerir seus próprios recursos e do impacto na sua lucratividade.

Isso nos leva a uma análise mais aprofundada sobre os diferente tipos de crédito disponíveis no mercado. Como você poderá ver, cada um apresenta características que os tornam mais ou menos atraentes, dependendo dos seus objetivos.

Os tipos de empréstimo para empresas

Não se engane: empréstimo não é tudo igual. Cada linha de crédito oferecida conta com condições de pagamento, taxas e juros peculiares que precisam ser cuidadosamente analisadas.

Um empréstimo contraído em condições desvantajosas representa um sério problema porque custa mais caro e compromete seu orçamento no longo prazo. Por isso, você deve compreender o que cada modalidade oferece conforme a relação custo-benefício.

Não custa dizer novamente que todo empréstimo deve ser tomado de forma planejada. Se você deixa de calcular com antecedência os custos ou decide sem refletir com calma, o que deveria ser uma solução poderá ser o começo do fim para o seu negócio. Mais à frente, trataremos desse aspecto com a atenção merecida.

Cheque especial

Todos estamos sujeitos a situações críticas ou emergenciais. Na vida pessoal ou empresarial, acidentes de percurso acontecem e, nessas horas, nem sempre temos uma reserva prudente para arcar com custos não previstos.

Nesses casos, o cheque especial é uma alternativa que pode representar o estancamento de uma sangria. Com ele, sua empresa tem acesso imediato ao crédito, sem necessidade de preenchimento de cadastros ou análises rigorosas.

Tudo isso é feito antecipadamente e, se os requisitos forem satisfeitos, o dinheiro fica disponível para usar a qualquer momento. Seria mais ou menos como um empréstimo online, ou seja, uma forma de obter crédito rápida e sem burocracia.

Entretanto, como você já deve ter percebido, isso implica um custo, e no caso do cheque especial ele costuma ser bastante elevado. E, por mais que as regras tenham mudado recentemente, facilitando a vida do empreendedor, deve-se usar de muita cautela.

Portanto, o ideal é que você verifique as taxas cobradas por mês em cada banco. Em geral, os juros do cheque especial ficam em torno de 10%, o que pode representar um peso enorme, dependendo de quanto você tomar emprestado.

Sendo assim, uma medida válida é verificar se o banco oferece dias sem juros para pagamento. Caso positivo, veja quantos dias são concedidos e se você teria capacidade de honrar os pagamentos dentro desse prazo.

Financiamento de faturas

Uma das modalidades de empréstimo para empresas mais atraentes, tanto para instituições financeiras quanto para seus clientes é o financiamento de faturas. Também conhecido como factoring, consiste em receber antecipadamente os valores de duplicatas emitidas. Em, outras palavras, você recebe de uma só vez o valor das vendas feitas a prazo, garantindo a liquidez imediata nas suas vendas.

Em geral, a operação é feita pelo repasse imediato de 90% do valor que constar nas parcelas. Feito o pagamento do valor acordado, que gira entre 1% e 3% do total a receber, o agente de factoring deposita os 10% que restaram.

Logo, empresas que precisam de dinheiro em caixa para honrar seus compromissos têm nessa modalidade de crédito uma alternativa segura. Para a instituição credora, é interessante porque dispensa apresentação de mais garantias. Afinal, cada duplicata representa por si só uma certeza de que os valores serão pagos. Como desvantagem, está o próprio custo do serviço e a necessidade de pagamento imediato.

Conta garantida

Entre os tipos de empréstimo para empresas mais indicados para sanar problemas financeiros de curto prazo está aquele que é chamado de conta garantida. Trata-se de uma modalidade de crédito na qual é oferecido um limite pré-estabelecido para saque em regime rotativo, mais ou menos como no cheque especial.

A diferença, além das taxas aplicáveis e condições para ser elegível, está também no fato de a conta garantida ser um tipo de Capital de Giro. Ou seja, é indicada para utilização em um prazo mais curto. É por isso que é comumente empregada para cobrir desfalques no caixa por períodos que, em alguns casos, não chega a ultrapassar um dia.

Assim como toda movimentação financeira, deve atentar para o imposto que recai sobre a conta garantida, o IOF. Além dele, é previsto o IOF adicional, cobrado por ocasião da liberação do dinheiro e em eventuais acréscimos sobre o capital contratado.

Por fim, fecham o pacote de taxas aplicadas a esse tipo de crédito os juros e a taxa relativa ao CDI. Portanto, é preciso ter atenção antes de contratá-lo, já que os juros, somado às outras taxas e impostos pode representar um peso considerável no orçamento.

Como vantagem imediata, pode-se destacar o fato de a conta garantida permitir cobrir gastos emergenciais, já que sua liberação é instantânea. Outra é a cobrança dos juros que, nesse caso, só incide sobre o último dia do mês.

Contudo, na conta garantida o peso do IOF é maior, já que ele é cobrado a cada retirada e, muito importante, por cada dia que sua conta permanecer com saldo devedor. Por isso exige muito controle, já que possíveis cobranças sucessivas de imposto poderão ser maiores até do que os juros cobrados.

Empréstimo garantido

Outra modalidade bastante comum de empréstimo para empresas é o empréstimo garantido, ou com garantia, como também é conhecido. Nele, um imóvel ou veículo da empresa é oferecido como lastro para cobrir uma possível inadimplência, ou seja, um aval para sinalizar sua capacidade de honrar o compromisso.

Assim sendo, é indicado para empréstimos de somas maiores, que em geral são utilizadas em projetos de maior vulto. Reformas, construção ou expansões de lojas físicas são alguns exemplos de custos que podem ser cobertos por empréstimos dessa modalidade.

Sendo um crédito concedido mediante a apresentação de bens de relativa liquidez, o empréstimo garantido acaba por ser interessante em função dos juros mais baixos. Há instituições financeiras que oferecem linhas com juros de somente 1,15% mensais. Muito menor, por exemplo, do que os normalmente aplicados 10% do cheque especial.

Outro aspecto que o torna vantajoso é que os bancos em geral costumam impor condições menos restritivas, desde que a garantia apresentada esteja dentro dos seus padrões. Assim, é possível conceder prazos maiores de pagamento e condições mais “camaradas”, como pagamento de primeira parcela mais para frente, dependendo da instituição financeira.

Antecipação de Recebíveis

Mais ou menos na mesma linha do financiamento de fatura, a antecipação de recebíveis também permite o recebimento antecipado sobre valores a serem pagos no futuro. Por isso, é uma forma de obter crédito indicada, assim como a conta garantida, para cobrir eventuais desfalques no capital de giro.

Na antecipação de recebíveis, podem ser adiantados valores relativos a boletos, parcelas pagas com cartão de crédito e até cheques pré-datados. Dessa forma, imaginando que daqui a um mês sua empresa tenha um valor de 500 reais para receber, poderá antecipá-lo.

Isso é feito mediante um contrato de empréstimo para empresas junto a um banco, factoring ou um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs). A instituição financeira, por sua vez, concede o crédito mediante a aplicação das taxas previstas e do IOF normal.

Contudo, no caso das FIDCs, há uma vantagem a ser considerada: não há cobrança de imposto para esse tipo de instituição financeira quando elas antecipam recebíveis. Vale destacar, ainda, que se o seu cliente deixar de pagar a duplicata usada como garantia, será de sua responsabilidade a gestão da inadimplência, certo?

Microcrédito

Empresas são, em essência, agentes de transformação social. Boa parte dos negócios, no Brasil, nasce como uma iniciativa local, ou seja, destinada a atender demandas de comunidades ou de coletivos específicos.

Foi pensando nesse tipo de negócio que nasceu o microcrédito, criado pelo economista Muhammad Yunus. Quando o criou lá pelos anos 70, tinha como objetivo estimular o empreendedorismo em seu país, Bangladesh. A coisa foi tão bem sucedida que Yunus foi agraciado com o prêmio Nobel no ano de 2006, em virtude da sua valiosa contribuição, hoje replicada mundialmente.

Por aqui, existem linhas como o Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO), desenvolvido pelo governo federal. Seu público-alvo são empreendedores formais ou não, podendo ser PJ ou autônomos que, por sua condição, não tenham como oferecer as garantias normalmente exigidas pelas instituições financeiras “normais”.

Em geral, o faturamento desse tipo de empresa não passa dos R$ 120 mil, o que pode de fato restringir o acesso ao crédito. Contudo, é preciso estar com o CNPJ ou CPF livre de restrições, ou seja, fora do cadastro da Serasa Experian, ok?

Embora os limites de crédito sejam baixos, em proporção ao tipo de empreendimento a que se destinam, há de se convir que os juros tornam o microcrédito uma opção extremamente viável. Com taxas que normalmente não passam de 4%, o micro e pequeno empreendedor tem o impulso necessário para crescer sem comprometer suas finanças no longo prazo.

De qualquer forma, você não estará dispensado de apresentar garantias antes de contratar essa modalidade de crédito empresarial. Nesse caso, há alternativas como a apresentação de fiador ou de um grupo solidário, que pode ser composto por pessoas da comunidade beneficiada pela sua atividade.

BNDES

Não se pode deixar e destacar as linhas de crédito concedidas pelo BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Sua finalidade, em linha com a proposta desenvolvimentista do banco, é fomentar a iniciativa empreendedora.

Por isso, o crédito do BNDES só pode ser obtido condicionado a objetivos específicos, como compra de equipamentos, veículos, máquinas ou bens de consumo duráveis. PME´s, contam com condições especiais para pagamento e contratação, que deve ser feita por meio de bancos ou instituições financeiras habilitadas.

As vantagens e os cuidados necessários

Seja ao recorrer a um empréstimo para abrir empresa ou para financiar uma expansão, são necessários certos cuidados para que somente as vantagens sejam percebidas. O acesso ao crédito não é um problema, mas sim o uso equivocado que se faz dele quando não se está bem informado.

Uma coisa é certa e vale destacar de novo: um empréstimo representa a entrada de um dinheiro que, na prática, não é seu. Isso significa que são necessárias garantias e uma contrapartida a ser prestada. No seu caso, essa contrapartida será o pagamento de impostos e taxas incidentes.

Além disso, toda oferta de crédito é necessariamente acompanhada de juros, que devem ser acrescentados às despesas da sua empresa. Sem essa previsão, não será possível prever o impacto de um empréstimo no seu orçamento.

Ao deixar de antecipar os riscos de tomar emprestado um valor que pode estar acima da sua capacidade de pagamento, você pode colocar sua empresa diante de uma ameaça. A inadimplência é como uma doença que, se não for tratada desde que os primeiros sintomas apareçam, pode evoluir até levar à morte. Veja a seguir os cuidados que você deve tomar para evitar que aconteça o pior e para garantir que um empréstimo cumpra a sua verdadeira função.

Elabore um planejamento

Tomada de crédito feita de forma consciente é aquela precedida de planejamento. Planejar, nesse caso, envolve a previsão do pagamento das taxas, juros e impostos incidentes, considerando também o retorno que o empréstimo gerar.

Por exemplo, imagine que, ao tomar emprestado R$ 1 mil para a compra de um equipamento que vai permitir aumentar a produção, isso o leve a um aumento nas vendas em R$ 200 mensais.

Em contrapartida, o valor emprestado vai “comer” R$ 150 do seu orçamento todo mês. Ou seja, sobrarão R$ 50, depois de descontada a parcela do lucro viabilizado pelo novo recurso. Sendo assim, com uma taxa de juros menor, esse valor que sobra pode ser maior, concorda? Leve sempre isso em consideração na hora de planejar seu próximo empréstimo, em especial aqueles que se destinam ao aumento na produção.

Ajuste suas finanças

As instituições financeiras também avaliam o CPF da pessoa que pede crédito em nome de uma empresa. Dessa forma, buscam avaliar o risco envolvido na operação, já que um empresário negativado pode vir a repetir o comportamento e gerar nova dívida.

Portanto, antes de ir à luta em busca de crédito, certifique-se de que seu nome está limpo. Assim, você garante que seu tempo será bem empregado e aumenta as chances de sucesso ao solicitar empréstimo para empresas.

O crédito é a sua alavanca

No mercado financeiro, utiliza-se o termo alavancagem para definir fatores que levam um investimento a apresentar taxas de rentabilidade maiores. Nesse aspecto, pode-se dizer que o acesso ao crédito é uma forma de alavancar o seu negócio.

No sentido mais mecânico da coisa, uma alavanca representa um dispositvo que permite aumentar a força aplicada a um movimento com o mínimo de esforço. Logo, o crédito empresarial deve ser considerado como um impulso, sem o qual você jamais obteria os resultados que ele viabiliza, pelo menos não no mesmo período de tempo.

É por isso que você deve sempre ter no acesso ao crédito não uma forma de obter dinheiro fácil, mas como um meio para apoiar sua empresa em direção a um novo patamar de produtividade.

Dicas para conseguir um empréstimo para sua empresa

Como vimos ao longo deste artigo, as instituições financeiras exigem a apresentação de garantias antes de conceder crédito. Nesse sentido, quanto mais preparado você estiver ao chegar a uma agência com uma proposta, maiores as chances de sucesso.

Claro que, para cada tipo de banco e de linha de crédito, haverá exigências específicas. O que é cobrado para determinado tipo de empréstimo pode não ser exigido em outro. Por isso, a primeira medida que você deverá tomar é quitar o empréstimo que tenha sido contraído score e, assim, a possibilidade de ter uma linha aprovada.

Além disso, é preciso considerar que existe o cadastro positivo, no qual todo o seu histórico de compras realizadas e pagas é registrado com o seu consentimento. Esse cadastro, junto ao de negativados, é também consultado por bancos quando fazem empréstimos para pessoas jurídicas. Manter-se sempre em dia com seus compromissos financeiros, portanto, é a melhor maneira de continuar elegível para receber crédito.

Outra forma de expandir as oportunidades nesse aspecto é contar com as certidões negativas de débitos. Existem diversas modalidades desse tipo de documento, como a fiscal, trabalhista ou de débitos.

Consulte os órgãos de controle tributários federais, estaduais e municipais, emita as certidões e tenha-as à mão para apresentar caso precise de dinheiro emprestado. Lembre-se, ainda, de que em algumas instituições elas entram na lista de exigências, por isso, quanto antes você providenciá-las, melhor.

Você conheceu, ao longo deste artigo, os principais tipos e modalidades de empréstimos voltados para empresas praticados no Brasil. Perceba que cada um deles se ajusta melhor a objetivos que devem ser avaliados em termos de prazo e de liquidez.

Em outras palavras, para metas de realização em curto prazo, são indicadas linhas de crédito adequadas para quem precisa de dinheiro rápido. Em compensação, as taxas e juros pagos serão maiores.

Por outro lado, quando o investimento a ser feito tem retorno em longo prazo, então o melhor mesmo é contar com empréstimos feitos a juros mais baixos possíveis. Como vimos, há modalidades como o microcrédito e o crédito do BNDES que oferecem condições mais vantajosas, em especial para micro e pequenos empresários.

Contudo, sua tarefa não termina quando o empréstimo é quitado. Empreender significa desenvolver-se ininterruptamente, logo, o fim de um ciclo representa o começo de outro. Pensando assim, o empréstimo para empresas será sempre a solução para os desafios que se apresentarem ao longo da sua trajetória.

Esse artigo solucionou suas dúvidas? Se você gostou deste material, compartilhe agora em suas redes sociais!

Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: