Crédito mercantil: quais são as indicações?

Crédito
Publicada em 11/09/2019 - Fonte: Serasa Experian
Crédito mercantil

O crédito mercantil, mais conhecido como factoring ou fomento mercantil, é uma das alternativas que as empresas brasileiras têm para antecipar receitas. Trata-se de uma operação nos moldes de um empréstimo, mas com condições distintas, em função das garantias apresentadas.

Até 2017, essa era uma modalidade de crédito em franco crescimento no Brasil. Um dos motivos disso se deve à redução na oferta de crédito por parte dos bancos. Afinal, foram tempos de recessão econômica, que só em 2018 seria contida.

De qualquer forma, o factoring é sempre uma alternativa interessante, porque ele só é concedido mediante a comprovação de liquidez por parte da empresa devedora. Vale a pena, então, conhecê-lo mais a fundo para aproveitar melhor as suas vantagens. Continue lendo para saber mais.

Objetivo e vantagens do crédito mercantil

O crédito mercantil pode ser conceituado como uma transação financeira baseada na confiança. A empresa de factoring que empresta capital o faz contando com a credibilidade da empresa que toma o dinheiro adiantado.

Ou seja, não se trata apenas de uma concessão de crédito comum, tal como praticam os bancos. Isso porque, no fomento mercantil, a ideia não é financiar um projeto, cobrir rombos ou bancar uma expansão.

Na verdade, ele funciona como um adiantamento de valores a receber, mais ou menos nos moldes de uma duplicata. Portanto, a empresa, que toma dinheiro adiantado, apresenta àquela, que faz a concessão de crédito, valores que tiver a receber como garantia.

O objetivo, nesse caso, é de fato estimular, ou seja, fomentar a atividade produtiva de um modo geral. A empresa que pede crédito apresenta títulos como duplicatas, parcelas a vencer e tudo que demonstre o recebimento de receitas futuras.

Por sua vez, a empresa de factoring toma esses títulos como garantia, antecipando com desconto o valor total a ser recebido. Por exemplo: se uma empresa vende produtos em 10 vezes de R$ 100,00, significa que tem R$ 1000,00 para receber. 

Em vez de aguardar os dez meses para receber o valor total, ela pode recorrer ao crédito mercantil, cedendo à empresa de factoring os direitos sobre essas parcelas. Se a taxa for de 10%, ela receberá imediatamente R$ 900,00.

A grande vantagem desse modelo é que ele ajuda empresas, que vendem frequentemente a prazo, a ter um controle mais efetivo sobre seu capital de giro e o próprio fluxo de caixa. Além disso, no factoring, as garantias apresentadas são normalmente mais sólidas. Isso permite que as empresas credoras trabalhem com taxas e condições melhores do que aquelas oferecidas por instituições financeiras.

Principais características do crédito mercantil

Dessa forma, o crédito mercantil toma como base para a análise de crédito não o patrimônio líquido atual, mas aquele que virá a ser percebido. Por isso, o crédito é concedido conforme o valor estimado da empresa e, claro, do montante que tenha a receber de seus clientes. Por isso, pode ser considerado, de certa forma, como um empréstimo referenciado por valor intangível. 

Dependendo da conjuntura econômica e do acesso ao crédito vigente, ele pode ser uma verdadeira “salvação” para quem contrata. Afinal, o que mais pesa para as empresas de factoring é a perspectiva de recebimentos futuros.

Há, inclusive, algumas que nem se quer fazem análises, o que de certa forma comprova que o crédito mercantil é realmente uma modalidade de crédito desenvolvimentista. Além disso, é possível, em algumas empresas de factoring, isentar-se da cobrança de IOF, TAC e até de Ad Valorem.

Embora o fator confiança seja fundamental, a verdade é que existem riscos que os bancos “normais” não estão dispostos a assumir. É por isso que esse tipo de operação é feita por poucas instituições financeiras, todas elas especializadas em fomento mercantil. 

De qualquer forma, quem concede o crédito naturalmente estipula certos critérios. Além de avaliar a liquidez dos títulos a receber, a empresa de factoring também pode analisar o histórico financeiro da empresa que pede crédito.

Tudo vai depender de quanto se pretende adiantar, da liquidez dos títulos apresentados e até do panorama do setor em que a empresa devedora atua. Seria o caso, por exemplo, da indústria, que em 2017 teve aumento de 7% no nível de endividamento. Isso influi indiretamente na oferta de crédito. Afinal, se todo um segmento encontra-se estagnado, significa que a expectativa de liquidez é menor.

Processo de análise de crédito

Um bom score de crédito não se constrói de uma hora para outra. As empresas que concedem crédito mercantil, embora tenham o fomento como objetivo, também se cercam de cuidados antes de antecipar dinheiro.

Nesse sentido, o que vale para os bancos também vale para as empresas de factoring. É onde entram em cena os chamados “5 Cs do crédito”:

Caráter 

Por mais que existam certas condições vantajosas e algumas empresas exijam menos garantias, a análise do caráter tem um grande peso em uma operação de factoring. Antes de antecipar valores, é feita uma avaliação das atividades financeiras passadas da empresa solicitante. Nela, o objetivo é confirmar se a PJ é, de fato, boa pagadora. 

Se a empresa for nova e não tiver um histórico financeiro, os sócios é que terão seus respectivos históricos financeiros avaliados. Portanto, quanto mais reto o caráter demonstrado no passado, maiores as chances de obter crédito mercantil.

Colateralidade

A colateralidade se refere às garantias materiais apresentadas. No caso do factoring, como você já sabe, o que conta mais são os títulos de propriedade futura como parcelas e duplicatas.

Capacidade

O terceiro C tem a ver com a capacidade que a empresa demonstra em se manter organizada e, assim, fazer jus ao adiantamento. Faz sentido, pois já que o crédito mercantil visa a fomentar a atividade produtiva, não seria indicado para empresas que não tenham, pelo menos, um fluxo de caixa bem organizado.

Capital

Não menos importante, o capital é considerado justamente porque representa o conjunto de ativos de uma empresa. Uma empresa capitalizada tende a honrar seus compromissos, enquanto as que vivem no sufoco seguem em direção oposta.

Condições

Por último, o C de condições serve para avaliar se o momento da empresa que solicita crédito é adequado para esse tipo de operação. Devem ser avaliadas, portanto, as expectativas e projeções para agora e para o futuro, além da atuação dos concorrentes no mercado.

Neste artigo, você conheceu mais a fundo o factoring, para quem ele se destina e que tipo de empresas fazem essa operação. O procedimento para obter crédito dessa forma, como vimos, é relativamente simples, consistindo basicamente em apresentar uma proposta junto a uma empresa de crédito mercantil. Escolha criteriosamente e, se precisar, faça uso do seu cadastro positivo.

Então, o artigo foi útil? Aproveite e conheça o passo a passo para concessão de crédito para empresas antes de ir em busca de recursos!

Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: