Como diminuir a inadimplência na loja? Descubra agora!

Marketing e Vendas
Publicada em 08/04/2019 - Fonte: Serasa Empreendedor

Em todo o Brasil, mais de 60 milhões de consumidores se tornaram inadimplentes, de acordo com o Serasa Experian. Como isso se reflete em seu negócio você já sabe bem: aumento dos custos com serviços de cobrança, dificuldade de planejar as finanças e uma necessidade cada vez maior de proteger-se na hora de conceder crédito. Mas afinal, como diminuir a inadimplência em sua empresa?

Ações de prevenção são necessárias para que você não tenha a capacidade de investimento e a expansão do negócio comprometidas. Alternativas para reduzir a quantidade de devedores são possíveis e você deve começar, agora mesmo, a implementá-las. Quer conhecer quais são as principais? Então, continue a leitura deste artigo!

Estabelecer políticas claras de pagamento

O primeiro passo para quem oferece crédito aos clientes e não deseja ser vítima da inadimplência é estabelecer uma política consistente e transparente, estabelecendo as regras para bons e maus pagadores e deixando-as claras para o consumidor. Um bom começo — e um incentivo para a quitação em dia — é premiar aqueles que não deixam sua empresa na mão.

Nessa linha, é possível, por exemplo, conceder descontos e vantagens especiais para aqueles que pagam na data prevista. Já para os casos de clientes que atrasam os pagamentos, é preciso que esteja bem claro como será a cobrança de juros, o limite máximo de espera até que ele seja inserido em uma lista de proteção de crédito e, até mesmo, regras para parcelamento da dívida, se for necessário.

Usar softwares especializados para controle financeiro

Independentemente do tamanho da sua empresa, já não é mais aconselhável depender de sistemas manuais de controle dos pagamentos dos clientes. Procure automatizar, em todos os setores possíveis, as finanças do seu negócio, incluindo sistemas de gestão de crédito, que ajudarão a organizar os dados do cliente, seu histórico de compras e de quitação de dívidas, os prazos para cobrança, entre outras informações.

Esses sistemas são fundamentais para que você consiga executar sua política de crédito com eficiência, sem se perder nas contas da sua empresa. O monitoramento constante, inclusive com avisos de cobrança antecipados, ajuda a manter o cliente ciente de suas dívidas e mais propenso a pagá-las na data prevista.

Analisar o crédito antes de concedê-lo

Aqueles acordos “no fio do bigode” eram possíveis há muitas décadas, mas totalmente ineficientes, hoje em dia. Portanto, antes de conceder um parcelamento, em especial em médio e longo prazos, é preciso fazer uma análise minuciosa da capacidade de pagamento do consumidor.

Não deixe de fazer uma consulta e uma análise do histórico do cliente antes de aprovar a transação para que haja uma garantia de reduzir os riscos de inadimplência. Há diversas ferramentas que podem ser utilizadas para essa análise, como o Serasa Recomendação, que permite ao empreendedor conhecer o Score da empresa consultada ou da pessoa física com quem vai negociar, reduzindo os riscos para o negócio.

Cadastrar o consumidor

Ligada diretamente à dica anterior, essa ação ajuda a ter mais controle e reduzir as chances de conceder crédito a maus pagadores. Não se esqueça de sempre atualizar os dados, mesmo dos clientes mais antigos da empresa. Algumas informações importantes são:

  • documentos pessoais, como RG e CPF, e confirmação da assinatura;
  • comprovantes de renda e de residência;
  • confirmação das informações por telefone;
  • checagem do tempo de abertura da conta bancária, pois as mais recentes são mais propensas à inadimplência.

Negociar dívidas quando necessário

É muito mais produtivo estabelecer um relacionamento com o cliente que permita uma renegociação da dívida do que deixar que esse débito fique pendente, a ponto de precisar de uma cobrança judicial. Assim como você faz com seus fornecedores em momentos de crise, permita que o consumidor faça uma proposta de pagamento com prazos diferenciados e condições preestabelecidas.

Assim, você garante o recebimento dos valores sem ter de arcar com mais custos, como empresas de cobrança, advogados e outros. Melhor que isso, esse tipo de abertura ainda favorece a fidelização do bom cliente, ou seja, aquele que atrasou o pagamento apenas por estar passando por alguma situação emergencial, como desemprego, mas que normalmente honra seus compromissos.

Organizar as finanças do negócio

Se a empresa não controla diariamente o fluxo de caixa, certamente terá mais dificuldades em identificar os valores que deixam de entrar, prejudicando a sua saúde financeira. Portanto, mantenha a gestão das finanças em dia, impedindo que situações de inadimplência passem despercebidas pelo setor financeiro.

A percepção tardia de dívidas não pagas pode prejudicar gravemente o seu negócio, aumentando os custos para cobranças. Portanto, quem deseja entender melhor como diminuir a inadimplência, deve fazer o gerenciamento interno das contas, de preferência de forma automatizada.

Preferir os pagamentos à vista

Pode parecer uma dica óbvia, mas nem sempre os empresários entendem bem como persuadir o cliente a pagar à vista, em vez de parcelar suas compras. Há algumas ações que podem ser implementadas em seu negócio para conseguir aumentar o número de consumidores que optam por essa opção de pagamento. Veja algumas delas:

  • oferecer vantagens, como descontos;

  • associar-se a sites de cupons de descontos;

  • dar outros produtos como brinde para quem paga à vista;

  • preferir os parcelamentos em cartão de crédito, pois a garantia de recebimento dos valores compensa as taxas cobradas pela operadora;

  • garantir vantagens no programa de fidelidade da empresa, entre outras.

Escolher a data de vencimento conveniente

Duas questões devem ser levadas em consideração na hora de escolher a data de vencimento para as compras parceladas. Uma delas depende do olhar interno sobre o seu negócio, ou seja, verificar o fluxo de caixa e saber se ela contempla a cobertura dos custos fixos da empresa. Dessa forma, voltamos ao ponto da importância de um bom controle de fluxo de caixa.

A outra questão diz respeito ao cliente. É preciso avaliar o melhor momento para ele, também, oferecendo alguma flexibilização na escolha da data de vencimento. Assim, quanto mais condições ele tiver para pagar, menor o risco de ele se tornar um inadimplente.

Para quem buscava informações sobre como diminuir a inadimplência, deu para perceber que o bom relacionamento entre o negócio e os clientes é um dos fatores fundamentais para alcançar esse objetivo. A atenção a detalhes na hora de fazer o cadastro, a flexibilização das formas de pagamento e das datas de vencimento e o controle das suas finanças não garantem a eliminação dos devedores, mas reduzem bastante os riscos das suas transações.

E então? O que achou deste texto? Deseja receber em seu e-mail, de forma gratuita, outros conteúdos que podem ajudar no gerenciamento da sua empresa? Então, assine já a nossa newsletter!

Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: