Como vencer a burocracia para empreender?

Guia do MEI e ME
Publicada em 19/10/2018 - Fonte: Serasa Empreendedor
Empreendedor trabalhando e sorrindo, vendo seu negócio prosperar não esbarrar na burocracia

Afinal, como vencer a burocracia para empreender? Aí está um grande motivo de preocupação para quem tem o sonho de administrar um negócio próprio no Brasil. O emaranhado de leis e de tributos existentes por aqui, por exemplo, é fator de desânimo, sobretudo para quem não tem experiência nesse ramo. O que fazer então?

Neste post, vamos mostrar que, com planejamento, apoio de um contador e foco contínuo na sua capacitação, é mais que possível vencer a burocracia para empreender. Preparado? Boa leitura!

Siga as determinações da lei

Empreendedores em início de carreira podem ficar intimidados com a burocracia imposta pelo governo para quem deseja ter um negócio próprio. As exigências são grandes, os processos, na maioria das vezes, são demorados e os tributos a pagar, desestimulantes.

Contudo, é preciso ter consciência de que o custo-benefício de seguir as determinações da lei é muito mais vantajoso que optar pelo caminho oposto. Para você ter uma ideia, a empresa regularizada está apta a:

Nesse cenário, portanto, a empresa tem à disposição uma série muito mais ampla de recursos para disputar o mercado, atrair clientes e crescer.

Além disso, uma empresa irregular pode sofrer prejuízos capazes de levá-la a fechar as portas antes do esperado. Pense bem: se a fiscalização identificar atividades ilegais, os produtos podem ser apreendidos e, dessa forma, o dinheiro investido não é recuperado.

As multas aplicadas pela inobservância da lei também podem prejudicar bastante o empreendedor, chegando ao ponto de ele não ter mais recursos para reinvestir no negócio e dar a volta por cima. Melhor não correr esses riscos, não acha?

Formalize sua atividade

Martelo de juiz que significa a importancia da legalização do seu negócio
Formalize sua empresa
O que fazer, então, para seguir a lei? Pois o primeiro passo é formalizar a atividade que você realiza. Atualmente no Brasil existem 2 modalidades para pequenos empreendedores: Microempreendedor Individual (MEI) e Microempresa (ME). Entenda as diferenças a seguir!

Microempreendedor Individual (MEI)

Quem trabalha por conta própria, fatura até 81 mil reais por ano e não tem participação em outra empresa pode optar pela categoria de Microempreendedor Individual (MEI). Ao realizar o cadastro, o empreendedor recebe o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e está, portanto, em condições de emitir notas fiscais.

O processo de regularização como MEI é muito simples e rápido. A primeira etapa é concluída pela internet, no Portal do Empreendedor. A segunda fase varia conforme as regras da prefeitura da sua cidade.

Outra vantagem do MEI é a carga tributária reduzida. Nessa categoria, o empreendedor está isento de Imposto de Renda (IR), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). A taxa mensal muda conforme a característica do negócio, sendo:

  • comércio e indústria: 47,85 reais;
  • prestação de serviços: 51,58 reais;
  • comércio e serviços: 52,85 reais.

Microempresa (ME)

Já o formato de Microempresa (ME) abrange negócios que faturam até 360 mil reais ao ano. A formalização exige contrato social e registro na junta comercial. O empreendedor também precisa definir a modalidade de recolhimentos de tributos: Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido. A escolha da mais vantajosa vai depender das características do negócio.

Contrate um bom contador

Como você pôde observar no tópico anterior, a modalidade Microempresa exige que o empreendedor decida em qual enquadramento tributário vai formalizar seu negócio. Aí entra o planejamento tributário.

O objetivo é fazer a empresa pagar o menor valor possível de impostos, desde que sempre dentro da lei. Também conhecida como elisão fiscal, essa escolha é extremamente complexa para quem não está acostumado a lidar com essas regras.

Além disso, considerando a alta carga de impostos existentes no Brasil, é mais que recomendado contratar um bom contador para realizar o planejamento tributário do negócio. Esse profissional tem condições de fornecer todas as informações necessárias para vencer a burocracia para empreender.

Elabore seu planejamento financeiro

Manter as finanças em ordem é fundamental para o desenvolvimento de qualquer empresa. O planejamento financeiro envolve o registro de entradas e saídas de dinheiro e a projeção dos gastos e dos investimentos em determinado período futuro.

O cuidado com as finanças ganha ainda mais relevância quando observamos uma triste realidade brasileira: mais de 60% das empresas vão à falência antes de completarem 5 anos de atividades.

A organização permitirá ao empreendedor fazer o negócio crescer de forma sustentável, sem precisar aumentar o endividamento a um nível que impeça o desenvolvimento da empresa.

Além disso, controlar o fluxo de caixa permite que o empreendedor defina ações comerciais mais certeiras, como realizar promoções, viabilizar campanhas ou até mesmo cortar despesas.

Tenha um calendário fiscal

O calendário fiscal organiza todas as obrigações fiscais de uma empresa. O objetivo é fazer como que o administrador não deixe de observar nenhuma informação e, dessa forma, consiga se manter em dia com a legislação brasileira.

Dentro do modelo de tributação praticado, é preciso manter os dados atualizados, com o correto cálculo do ICMS, valor de faturamento e os demais números referentes à emissão de notas fiscais. Esse cuidado diário é fundamental para o empreendedor não se perder no emaranhado burocrático que essa atividade envolve.

Invista em capacitação

Empreendedora sentada estudando com livros em volta, reforçando o quão importante é investir tempo e dinheiro em capacitação.
Invista em capacitação
Como você pôde observar até aqui, vencer a burocracia para empreender não é uma tarefa fácil, mas determinadas atitudes contribuem bastante para diminuir barreiras e construir o sucesso. Estudar é umas dessas ações que não podem faltar na rotina de quem deseja ter um negócio próprio.

O conhecimento abre portas e proporciona uma visão mais rica sobre os desafios e os caminhos que podem ser tomados. Se você ainda não tem tanta experiência no ramo da administração de empresas, procure participar de cursos e treinamentos nessa área.

Gestão de pessoas, marketing, vendas e finanças, por exemplo, são temas frequentes no dia a dia de qualquer negócio. Compreendê-los facilita as tomadas de decisões que precisarão feitas ao longo da jornada.

Sim, vencer a burocracia para empreender é uma tarefa desafiadora. A boa notícia, no entanto, é que, com planejamento e conhecimento, é mais que possível vencê-la e desenvolver um negócio lucrativo.

Lembre-se de que o custo-benefício de seguir a lei sempre será mais vantajoso que a escolha contrária. Trate de formalizar sua atividade com o apoio de um contador competente, profissional que terá condições de indicar o melhor enquadramento tributário para sua empresa.

Por fim, busque capacitação. O hábito de estudar permite que conheça o que há de mais moderno no mercado. Assim, possibilita manter o negócio cada vez mais competitivo.

Gostou do conteúdo? Preparado para superar a burocracia para empreender? Então compartilhe este post nas suas redes sociais e incentive seus amigos a também dominarem o assunto e seguirem o sonho de criar um negócio próprio!

Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: